Como em qualquer outra área, há sempre “teorias” populares que são transmitidas sem embasamento teórico. Nos últimos tempos, têm surgido rumores de que o uso do detergente na argamassa é eficiente e com um custo menor. No entanto, é preciso tomar cuidado com esse tipo de informação. De acordo com especialistas, o detergente pode parecer uma alternativa, mas o resultado pode não ser o esperado.

A obra está a todo vapor e de repente a cal que vai na argamassa acaba. Os trabalhadores tem a ideia de colocar detergente para a obra não parar. Afinal, o efeito é o mesmo e o custo é menor. Decisão certa ou errada?

Os elementos químicos têm diferentes funções podendo ter efeitos benéficos ou não, dependendo da sua aplicação. Na construção civil, as propriedades da cal são de grande importância na composição da argamassa. É preciso ter cautela no momento de fazer qualquer tipo de substituição.

A cal é importante por seus elementos, sendo um dos principais componentes da argamassa. Por ter um ‘poder aglomerante’, da mesma forma que o cimento, ela une os grãos de areia presentes na argamassa, aumentando a aderência. E por ter partículas finas, ao se unir com a água, age como um lubrificante que reduz o atrito entre os grãos de areia.

Além disso, esse produto possui propriedades que possibilitam um preparo maior de argamassa, o que reduz o custo da obra e aumenta o rendimento de material.

E por ter caráter alcalino, a cal consegue impedir que ferragens se oxidem, atuando também como agente bactericida e fungicida, evitando que futuramente apareçam manchas e deterioração precoce nos revestimentos.

Algumas pessoas acham que o detergente pode ter a mesma função.

 

Mas por qual motivo não se pode utilizar o detergente no lugar?

Primeiramente, quando pensamos no detergente, fazemos associação a um produto de limpeza que não foi criado para ser utilizado na construção civil.

Sua função é de limpar, retirar gordura mais facilmente, etc. E como seu PH é ácido (ao contrário da Cal), ele não protege elementos metálicos. Além disso, sua composição química não tem retenção de água e há a possibilidade de desidratação das moléculas de cimento – que podem gerar rachaduras indesejáveis. Também não há melhora de rendimento com a utilização desse produto.

De acordo com o especialista Igor Kipgen, geralmente as pessoas usam o detergente porque ele diminui o atrito com os demais componentes da argamassa e melhora de certa forma a trabalhabilidade. Ele consegue quebrar as tensões superficiais, fazendo com que uma molécula se misture com outra. No entanto, ele não tem as demais funções que a cal na massa, ou seja, a sua utilização não é recomendada.

Essa é mais uma dica para manter a qualidade no seu projeto. Se você é gestor, fique atento ao que acontece no canteiro de obras.

Gostou da informação? Sabemos que bons profissionais estão sempre procurando aperfeiçoar o seu trabalho e gerir a sua obra da melhor forma. Utilize o Sistema de Gestão Obrafit e tenha maior controle do andamento da obra!

Continue atento ao mundo da construção civil! Acompanhe a nossa página.
Entre em contato com o Obrafit: [email protected]

Artigos Relacionados: Bioarquitetura: conheça o conceito que vem mudando a construção civil! CLT: modernidade na construção civil substitui tijolo e argamassa