Os resíduos sólidos da construção civil (RSCC), também conhecidos popularmente como entulho de obra, representam grande impacto no meio ambiente quando não utilizados ou descartados de maneira correta.

O setor de construção é um dos que mais produzem resíduos no país, segundo a Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon).

Por isso, a responsabilidade pela manipulação, armazenagem e descarte do entulho é muito importante, desde a produção da obra até sua finalização, para que não cause maiores danos ambientais e às comunidades inseridas nos entornos dos locais.

 

O que são considerados RSCC ou entulho de obra?

 

Os restos de materiais utilizados no processo construtivo, de reforma, de demolição ou escavação são considerados resíduos sólidos.

Estes fragmentos podem ser de concreto, madeira, tijolo, argamassa, canos de PVC, aço, resinas, gesso, tintas, blocos cerâmicos, vidros, telhas, forros, colas, fiações, plásticos e demais itens que compreendem grande desperdício, provenientes das atividades de construções e reparos.

 

Qual a classificação dos resíduos sólidos da construção civil?

 

De acordo com resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), a composição dos RSCC é classificada como:

 

  • CLASSE A

Compreendem resíduos reutilizáveis ou recicláveis como agregados em reparos de edificações, de infraestrutura, de pavimentação e de demolição.

Exemplos: telhas, tijolos, placas de revestimento, argamassa, blocos e tubos de concreto.

 

  • CLASSE B

São materiais recicláveis para outras destinações.

Exemplos: plásticos, papel/papelão, metais, vidros, madeiras.

 

  • CLASSE C

Itens para os quais não foram desenvolvidas tecnologias ou aplicações economicamente viáveis que permitam a sua reciclagem ou recuperação.

Exemplos: produtos provenientes do gesso, estopas, lixas.

 

  • CLASSE D

Resíduos perigosos, contaminados ou que apresentam substâncias nocivas à saúde.

Exemplos: tintas, solventes, óleos, entulho de clínicas, clínicas radiológicas e de instalações industriais.

 

Entulho de obras: leis e normas técnicas

 

A gestão dos resíduos sólidos da construção civil deve ser realizada de acordo com o estabelecido em lei e normas regulamentadoras que definem os destinos e descartes corretos de cada material e estabelecem as diretrizes de responsabilidades.

Dessa forma, a lei 12305/2010 e a resolução 307/2002 do CONAMA merecem destaque pela instituição da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e por definirem as principais responsabilidades e competências atribuídas aos geradores, transportadores e administradores municipais no manejo destes resíduos de construção.

Outras normas existentes complementam o assunto, oferecendo informações técnicas e legais para a triagem, reciclagem e destinação adequada dos entulhos de obra.

 

Quais os problemas gerados pelo descarte incorreto dos RSCC?

 

São vários os riscos do descarte incorreto do entulho de obra.

O acúmulo dos resíduos caracteriza-se como um ambiente propício para vetores de doenças como chikungunya, dengue e, até mesmo, febre amarela. Além disso, esse cenário também pode atrair roedores e insetos indesejados transmissores de outras doenças, como ratos, escorpiões e baratas.

Também é grave o descarte do entulho feito de maneira ilegal em rios, represas e córregos, podendo contaminar o local com resíduos tóxicos, elevando o leito de água, provocando enchentes e causando riscos à saúde e segurança das comunidades próximas.

 

Como descartar corretamente o entulho de obra?

 

O descarte consciente dos resíduos que não podem ser reciclados ou reutilizados depende de algumas alternativas:

 

1- Caçambas

A destinação mais comum é a utilização de caçambas para a acomodação do entulho de obra. Este procedimento consiste no recolhimento dos resíduos e na destinação adequada e regulamentada para o descarte. Por isso, é importante pesquisar por empresas licenciadas, que irão atuar de forma honesta e responsável.

 

2- Coleta convencional

O descarte convencional dos resíduos não contaminados, caso não seja em grande quantidade, pode ser realizado como os demais lixos residenciais.

A quantidade de lixo a ser coletado por dia e por imóvel depende de cada prefeitura, que determina o peso máximo a ser recolhido e orienta na correta forma de separação e organização do entulho.

 

3- Ecopontos

Consistem nos pontos de entrega voluntária de entulhos. 

Trata-se de um serviço gratuito, entretanto, é preciso uma prévia consulta para saber se a sua cidade possui este sistema de coleta.

 

Como reaproveitar os resíduos que não são descartados?

 

Na construção civil, devemos pensar no poder dos 4 R’s: reduzir, reciclar, reutilizar e recusar.

Assim, para reduzir os desperdícios de matérias-primas naturais, a reciclagem e a reutilização são fundamentais. Muitos fragmentos podem ser utilizados em enchimentos de base para pisos, calçadas, em aterros ou pequenas muretas, use a criatividade para o máximo proveito.

Além disso, detritos cerâmicos triturados também podem ser reaproveitados para a composição de argamassa, economizando em outros insumos.

No caso da reciclagem, deve ser feita uma triagem do material a ser encaminhado às empresas especializadas, retirando resíduos tóxicos e contaminados. Dessa forma, é possível reciclar plásticos, latas, fios, canos, bandejas, madeira, entre outros.

Recusar empresas não licenciadas para o recolhimento de resíduos sólidos e recusar o uso de materiais e componentes que emitem mais gases do efeito estufa (GEE) também é de extrema importância para reduzir a pegada de carbono na atmosfera e combater os danos ambientais e sociais.

 

Internet das coisas iot

 

De que forma o Obrafit pode contribuir nessa causa?

 

Com um sistema de gerenciamento de obras, todas as etapas dos projetos são monitoradas em tempo real, diretamente do local da obra.

O uso dessa tecnologia, aliado a outras soluções de automação, contribuem significativamente para que haja um controle maior sobre o que ocorre no canteiro de obras, compartilhando imagens, inserindo planilhas, fazendo comentários e trocando informações com os demais usuários cadastrados e envolvidos nas obras.

A plataforma Obrafit destaca-se pela facilidade de uso e simplificação das funcionalidades, essenciais para um gerenciamento mais ágil e descomplicado.

Cadastre-se em nosso site para criar a sua conta e faça uma experiência gratuita válida por 30 dias.

Para mobilidade de acesso e gerenciamento remoto, baixe também o nosso aplicativo.

 

Gostou do conteúdo?

 

Conte-nos nos comentários o que achou do tema e compartilhe nosso blog com amigos e parceiros de negócios.

Fique por dentro das novidades do setor de construção civil, acessando nossos outros conteúdos e conheça mais a respeito de gestão de obras.