Diferenciais e prioridades de um bom gestor de obras

 


Um bom gestor de obras visa mitigar desconformidades em todas as etapas da obra. Ainda que o acompanhamento, coordenação de equipe, controle de orçamentos, materiais, prazos, segurança, sejam tarefas mais direcionadas à engenheiros civis e empreiteiros. Quanto mais presentes estiverem os arquitetos no canteiro de obras, menor a chance de imprevistos. E claro, maior a garantia de que o projeto será seguido à risca. Desde o design até as funcionalidades previstas. Este resultado deixa o cliente satisfeito. Além de virar portfólio para profissionais do segmento. O arquiteto, que idealiza o projeto, deve ter características administrativas e habilidades para relacionamentos interpessoais. E não só o conhecimento técnico. É vital para este profissional ter inteligência emocional para gerir conflitos, visão holística da obra, compreensão de todos os projetos, conhecimento legislativo, entendimento das normas técnicas e de segurança, cognição de todo o processo construtivo e resiliência. Faz parte também do planejamento a previsão de falhas e plano de ação para resolvê-las. Como por exemplo: canos estourados, atraso na entrega de materiais, temporais, acidentes com contratados etc. É também responsabilidade dele passar para toda a equipe as orientações necessárias para o sucesso do trabalho.

“O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras das decisões presentes.” Peter Drucker

Para evitar prejuízos e inconvenientes é imprescindível a sintonia entre todos os envolvidos e a uniformidade entre todos os projetos. Ou seja, projetos devem ser detalhados e compatibilizados.

Projetos:

  • aprovação legal;
  • projeto de arquitetura;
  • projeto de fundações
  • projeto estrutural;
  • projeto de hidráulica;
  • projeto de instalações elétricas.

Outros projetos podem surgir, dependendo da complexidade do empreendimento. Nestes casos, eles também devem ser considerados na compatibilização. Exemplos: urbanístico, de pavimentação, de automação, de paisagismo, de reaproveitamento de águas pluviais, de instalações de gás etc.

“Imagine que o projeto preveja uma escada pré-moldada que necessite de uma grua para sua instalação. Se o canteiro, por alguma restrição qualquer, não permitir a instalação desse equipamento, como resolver o problema sem provocar atrasos, aumento dos custos ou alteração do projeto?” Renata Marques – Arquiteta

 

Sistema para gestor de obras

Quando o modelo definido pelo contratante é o turn key, quando todos os serviços ficam centralizados em um único escritório, é ainda mais fácil aplicar todas as técnicas de gestão. Em outros modelos, quando por exemplo o contratante fica responsável pela compra de materiais, é preciso que a integração aconteça em tempo real e em uma mesma plataforma de informações. Assim, minimizar riscos de aborrecimentos. Nos dois casos, além de todas as previsões e da definição de um plano elaborado no início, o acompanhamento e a retroalimentação do planejamento físico-financeiro é vital para obter resultados esperados sem alterações de projeto e investimento. Em pauta, sugerimos o Obrafit, que é um sistema que visa sanar essas falhas, acelerar a resolução de imprevistos e melhorar a comunicação entre o profissional – obra e entre profissional – proprietário. Se interessou? Acompanhe nosso site para saber mais ou entre em contato por meio das nossas redes sociais! https://www.facebook.com/obrafit/ Artigos relacionados: https://obrafit.com.br/lancamento-do-app-obrafit/ https://obrafit.com.br/voce-conhece-todas-as-etapas-de-uma-obra/


O sistema permite a importação de planilhas, controle financeiro, comparação entre planejado x realizado e dashboard de informações. Totalmente intuitivo o sistema também conta com uma versão APP para mobile, que permite que o cliente acompanhe o passo a passo do que acontece na obra, compartilhando álbuns de fotos e fazendo comentários. Se interessou? Acompanhe nosso site para saber mais ou entre em contato por meio das nossas redes sociais!