Você conhece e utiliza em seus projetos as funcionalidades da automação residencial? Neste artigo, entenda as vantagens de aplicar novas tecnologias em seus projetos. Você pode oferecer para o seu cliente uma proposta que vai muito além do design, com soluções que serão vivenciadas dia a dia trazendo conforto, segurança e qualidade de vida.     

O que é?

A automação residencial utiliza a tecnologia para deixar tarefas diárias automáticas. Desde sensores de presença para a iluminação até a detecção de uma porta ou janela aberta. Este conjunto de tecnologias, conhecido como domóticas, executa funções cotidianas com economia e praticidade.

 

Como funciona?

Com um software para execução, configuração e definição de um projeto de automação residencial, o morador pode controlar o sistema elétrico de sua casa e evitar movimentos repetitivos, como ligar e desligar diversos interruptores para conseguir um cenário.

Com esse sistema inteligente integrado você pode programar horários para ligar e desligar equipamentos. Mais do que de facilitar a vida, essas tecnologias geram economia de energia e, consequentemente, uma diferença gratificante na conta de luz. Os comandos podem ser acionados no local ou até mesmo remotamente por meio de aplicativos em dispositivos móveis.

 

Veja algumas dicas que podem ser previstas em seus projetos:

– controle de iluminação, incusive para a criação de cenários, com luzes mais fortes ou mais suaves;

– acesso, de qualquer lugar, à equipamentos que estão na residência;

– acesso via internet por smartphones, computadores ou quaisquer dispositivos conectados;

– visualização das câmeras de segurança, aviso de alarme, controle de travas de segurança;

– controle biométrico de acesso;

– acionamentos por comando de voz;

– informações sobre consumo elétrico e hidráulico no celular;

– acionamento para abrir e fechar persianas e cortinas;

– sensores de movimentos, barulho, fumaça, inundações e vazamento de gás;

– controle hidráulico para encher a banheira, para irrigações;

– controle de temperatura do ar-condicionado;

– controle de áudio e vídeo.

 

É importante que o arquiteto e o engenheiro sejam indicadores e informem e treinem seus clientes para a utilização do sistema implantado. Para o cliente precisa estar claro quais são as vantagens, facilidades e benefícios.

Além disso, é preciso ter profissionais de confiança, para programação inicial, manutenções, esquemas de ligação e detalhes técnicos.

Para escolher as aplicações ideiais, entenda a necessidade do seu cliente e dos moradores que vão dividir este espaço com eles. Quais seus hábitos? Algum morador tem necessidades especiais? E claro, além de todas os benefícios, o seu projeto fica mais moderno e sofisticado.

Case de sucesso?

Assista a este vídeo que separamos para você:

Em Portugal, a casa inteligente tem até mordomo virtual!

Para ficar ainda mais por dentro do assunto, leia a nossa entrevista com o Arno Niewerth da Spumpalah – Soluções Domóticas, empresa que promove soluções customizadas e personalizadas de automação e de sistemas de entretenimento residênciais e comerciais.

As construtoras já investem neste segmento? Preferem profissionais que apliquem este tipo de soluções em seus projetos?

Sim, inclusive em Bauru. Nas grandes cidades do país, muitas construtoras já estão contemplam em seus projetos e empreendimentos a infraestrutura necessária para futuros projetos de automação, aspiração central e lógica. Estas tecnologias evoluem constantemente mas a infraestrutura necessária é basicamente a mesma e quando contemplada na fase de construção, permite aos proprietários fazer o “upgrade” de seus imóveis em um momento oportuno sem grandes transtornos ou “quebra-quebras”.

O investimento é muito alto? Qual a porcentagem de investimento a mais, no total do projeto de uma residência, para um pacote básico de controle de iluminação e controle hidráulico?

Em uma casa de aprox.. 1 milhão, o pacote básico fica em torno de 1,5% a 2% deste total. E um projeto mais sofisticado e abrangente, de 10% a 15%.

Por sua economia, a automação residencial já é realidade em projetos sustentáveis?

Sim. Principalmente em imóveis de uso comercial, com foco na economia, conforto térmico e ergonômico. No Brasil, este gerenciamento energético é uma das exigências para a certificação Green. Na caso de projetos residenciais, foco maior ainda está voltado para conforto, comodidade e sofisticação.     

Qual o crescimento deste segmento nos últimos dois anos? 

No mercado mundial, ao ano, a taxa de crescimento equivale ao dobro da taxa de crescimento do mercado da construção civil.   

 

Quer implantar ainda mais tecnologia em seus projetos?

Se você é arquiteto, engenheiro, empreiteiro, gestor ou construtor utilize o sistema de gestão Obrafit para compartilhar com o proprietário a evolução do seu projeto. Com dashboards – planejado x realizado, é possível fazer o acompanhamento e a retroalimentação do planejamento físico-financeiro.

Acompanhe nas redes o lançamento deste novo sistema. Facebook: @obrafit e pelo site: www.obrafit.com.br. Entre em contato com o Obrafit: [email protected] Artigos relacionados: Sustentabilidade na construção civil