Verificar todos os seus custos e também monitorá-los é fundamental para a saúde financeira da sua obra. Confira!


O primeiro passo para iniciar uma obra sem dores de cabeça é realizar um estudo de viabilidade econômica.

Há diversos prejuízos em não ter um estudo de viabilidade ou de não segui-lo por completo. Como por exemplo, aumento dos custos, não concluir a obra e atrasar o pagamento dos empreiteiros. Isto acarreta prejuízos para os destinatários da obra e acionistas e também pode gerar ações judiciais.

O estudo de viabilidade econômica ajuda a evitar todos esses infortúnios.

 

Execução

Primeiramente é preciso considerar todos os custosque serão despendidos com o empreendimento.

Através do estudo é possível medir tanto o resultado econômico da construção, o valor do lucro final da obra, quanto e de que forma o investimento financeiro deve se comportar no tempo do projeto. Nessa etapa é preciso considerar fatores como:

  • Necessidade de investimento
  • Necessidade de capital
  • Custo de mão de obra
  • Remuneração da construtora
  • Custo dos materiais
  • Custo de aquisição do terreno
  • Impacto da inflação

Mais importante que elaborar esse estudo é executá-lo. Assim, qualquer imprevisto pode ser descoberto pelos gestores antes que ocorra e haja margem para correção sem afetar o orçamento. Por isso, para que o estudo funcione ele deve estar alinhado como o cronograma da obra. Afinal de contas, atrasá-la ou adiantá-la trará mudanças para o escopo da construção.

Manter a equipe entrosada e se comunicando com frequência é muito importante durante a execução do estudo. É mais fácil escapar de imprevistos quando todos os envolvidos sabem em que ponto a obra está.

 

CheckList para evitar erros

  • Levante valores de todos os itens do estudo de viabilidade econômica antes do início do projeto
  • Tenha uma comunicação horizontal
  • Utilize produtos que ofereçam bom rendimento e qualidade
  • Mantenha um alinhamento dos custos de materiaisque podem aumentar todos os dias devido à inflação
  • Verifique com antecedência a necessidade de materiaise realize a compra de uma quantidade correta para não estocar materiais a mais
  • Utilize um sistema de gerenciamento, com ele é possível reduzir custos, otimizar tempo e controlar de forma simples sua obra

 


Como o Obrafit pode me ajudar a ter uma gestão compartilhada?

Sabemos que um dos entraves para administrar uma obra de forma colaborativa é a falha na comunicação para a tomada de decisões e a dificuldade de visualização das ações.

A tecnologia veio para ajudar! Hoje, existem sistemas que favorecem esse novo modelo de gestão compartilhada. Um exemplo é o Obrafit.

Em cada etapa o usuário pode contar com o respaldo do Sistema, podendo criar todos os itens e subitens que serão utilizados – possibilitando o controle dos gastos em cada um deles.

Vale ressaltar que o Sistema permite que as etapas sejam reordenadas conforme a necessidade de cada construção.

Como acertar?

Para trocar informações e acompanhar o passo a passo da execução do projeto ou reforma, peça para o seu arquiteto utilizar o Sistema de Gestão Obrafit. O sistema é online, baseado em nuvem e totalmente responsivo, possibilitando o acesso em qualquer lugar, de computadores ou dispositivos móveis. De forma fácil e intuitiva, a plataforma exibe as etapas da obra, materiais, cronograma de execução e pagamentos. Entenda melhor como funciona no nosso site!